O problema não é de “falta de honestidade”, é o capitalismo!

Os problemas sociais e econômicos são um produto inevitável da sociedade de classes, e não o resultado da ação de “maus” políticos ou empresários, a quem seria suficiente substituir por “bons” políticos e empresários que estejam em conformidade com a justiça e o bem comum. O empresário mais progressista e virtuoso não terá outra opção além de aumentar a exploração dos trabalhadores se a concorrência de um empregador rival ameaça afundar o seu negócio. E tratará de burlar o fisco tanto quanto for possível para aumentar os seus lucros, pois é esse, e somente esse, o objetivo de uma empresa privada. Se ele puder subornar políticos e juízes para manter sua empresa competitiva e expandir o seu negócio, não hesitará em fazê-lo. Não é um problema “moral”, mas sim o interesse de uma classe social que vive da exploração de mão de obra alheia para conseguir lucros, lucros que decorrem (como explicou Karl Marx há 150 anos) do trabalho não remunerado dos trabalhadores, da exploração do trabalho.

(treco do artigo ‘Podemos: o que é e para onde vai?’, escrito pelo espanhol Laureano Jiménez e publicado na Revista América Socialista VI)

Anúncios